Vencendo o inimigo - Devocional




As armas das nossas batalhas são poderosas EM Deus. Fazia tempo que eu não tinha revelação sobre como tratar alguns assuntos, vulgo perrengues, que tenho passado. Depois de um tempo orando, buscando a palavra (algumas semanas sem resposta, normal) finalmente, num post do Instagram, que me levou a uma leitura de um blog cristão, que me levou a outros artigos, que me levou a um testemunho, que me levou a um blog, tive minha celestial resposta no melhor estilo "Tá aqui como enfrentar. Dessa maneira vc entendeu?!" OK, Senhor, saquei! 

Tá resolvido? Aparentemente ainda não, mas a questão é que estou me sentindo armada pra lidar com o que vem. 



A bíblia deve ser a fonte de tudo o que buscamos pra viver. É somente em Deus, através do poder de Cristo que as coisas em nossa vida caminham para frente. Jesus pediu que não fôssemos tirados do mundo, mas livres do Maligno, pois sabia que pelo poder do Pai Nele, seríamos capazes de passar pelas circunstâncias difíceis acompanhados da Sua vida, salvação e certeira vitória. 

O problema é quando somos burros demais pra nos enchermos do que não vem de Deus.
Quanto mais nos afastamos de Deus e da sua palavra, mais difícil fica de buscá-lo, pq definitivamente, nossa carne não quer as coisas do Alto. Trocamos a devocional pelo stalk nas mídias, pela curiosidade nas coisas belas dessa terra (sou dessas, Pinterest me rouba da realidade por demais), pelos seriados, filmes, games, crushs, enfim, qualquer coisa que nos entretenha. 

Quanto mais deste mundo dentro de nós, menos fé nós temos em Deus. Vai por mim, tava assim 2 dias atrás. O diabo rouba a nossa fé, nossa confiança no poder de Deus e mais ainda, rouba nossa certeza da salvação. O que ele puder roubar e minar de vida, sonhos, paz e esperança, ele o faz. 

Ataques espirituais tem nos rondado diariamente e vigiar e estar atento (o próprio Jesus nos alertou) é fundamental para prosseguirmos ou retomarmos o caminho da santidade e de alegria na presença de Deus, ainda com os pés nesta terra. 

Que o Senhor produza no seu coração cada dia mais fome e sede Dele. O pão e água que Ele nos dá é o sustento pra viver. 

Bju, amo vcs. 



Priscila Rodd

Esse post começou lá no Insta.
Pra ver por lá é só clicar aqui.

Devocional - Sonhar, querer e almejar.




Você sonha muito? Eu sonho, mais acordada do que dormindo. Uma mínima faísca de esperança é o suficiente pra que eu faça planos, crie listas e invente conversas imaginárias. Isso pode parecer loucura, mas é assim que funciona a minha mente, por isso, estou continuamente orando para que a minha alma se acalme. 
Descansar no Senhor é repetido várias vezes na Palavra, especialmente em Salmos, onde a gente quase vê o diário de Davi e seus conterrâneos. 

Nossa vida aqui não nos permite conhecer a magnitude de Deus por completo, mas nos dá a oportunidade de reconhecer a soberania do Eterno em tudo, mesmo em meio aos conflitos e tribulações. Isso, é fé. 

Crer que o nosso Pai tem tudo sobre o controle, que sua vontade vai permanecer acima de tudo, que ela é boa, perfeita e agradável e que nesse processo, estamos sendo moldados em Cristo nos permite viver uma novidade de vida que é leve, apesar de tudo. 

Disse-vos estas coisas para que em mim tenhais paz: No mundo terei aflições. Mas tende bom ânimo! Eu venci o mundo. João 16:33. 

Priscila Rodd.

#biblejournaling  #devocional  #artedevocional #biblelettering


Esse post começou lá no Insta.
Pra ver por lá é só clicar aqui.

Monogramas da alegria - Projeto de Ilustração



Se tem uma coisa que eu gostei desde sempre foi escrever. Inclua nessa lista criar letras, rabiscar, decorar. Sempre tive uma queda por isso, e hoje mais do que nunca, isso me guia no anseio de voltar a estudar e ter um novo diploma, e quem sabe, definitivamente mudar de profissão. 

Vixi, voou!

Não é de hoje que os dias tem passado mais rápido. Aliás, desde que eu fiz 18 parece que a vida voou. As decisões que tomei, olhando hoje, me parecem um pouco precipitadas como o curso na faculdade e as mudanças de casa. Não sei se é normal essa crise dos 30, quando a gente ainda tem gostos de 18 e responsabilidade e cobranças de adulto.

Percebi que postei pouquíssimas vezes ano passado, e olha que não me falou tempo. Talvez inspiração, talvez alegria em compartilhar ou medo de me expor mais do que já foi feito.  Durmo e levanto com a insegurança ao meu lado, fujo de tudo o que me remete ao passado, por saber que poucas, das coisas que almejei eu consegui alcançar com sucesso. É chato depois de anos ver que o curso que escolhi me deixou meio que enfaixada, que a cidade onde moro tem um circuito quase inexistente de pessoas com quem eu dividiria os mesmos interesses. Me sinto presa aqui e presa em mim.

Não deixo de buscar a direção do Alto para o que posso fazer atualmente mas também não consigo acalmar a minha alma e deixar florescer o que posso plantar ainda aqui. Essas indignações que vem e vão com a humanidade e o pecado me cegam as vezes, e me pego revoltada e com um senso imbecil de justiça própria latejando mais do que um outdoor de neon. Cacete, será que aos 32 anos não dava pra eu ser menos babaca? Eu sei, que dentro de mim não existe bem algum, mas olha, eu queria, viu? Como eu queria umas qualidades de nascença.

Sei que tudo isso é a necessidade de reconhecimento e isso é pura falta de dar a Glória a Quem é devida. Esse treco de livre arbítrio me irrita muitas vezes. Admiro a soberania de Deus, mas eu reclamo minha possibilidade de errar. Queria muito ser ovelha, pra obedecer e seguir de vez o meu Pastor. Acho que o que mais dói atualmente é não poder dividir com mais ninguém essas incertezas, por não ter ninguém aqui perto pra papear esses assuntos da caminhada cristã. Ter tem, mas eu não tô no clima de querer abrir o coração de vez. Falar não me ajuda. Orar, talvez! Mas eu tô naquela fase de descrença, no maior estilo filho pródigo que pra gastar a herança e volta arrependido, e na semana seguinte tá lá de novo fazendo presepada.

Tô vomitando tudo isso porque quero muito estar errada amanhã.
 Enfim, então resolvi deixar meu coração e alma de lado pra postar aqui o que eu consigo tentar fazer bonito. E essa vai ser minha deixa daqui pra frente.... até.

Acabou meu interesse


Eu peço ao Senhor que a chatice da velhice já não tenha me pegado, porque se for isso, já era!
Moi, nos altos dos meus 32 anos já não aguento o mundo do jeito que tá. Difícil acompanhar o pique do universo, com tanto holofote apontado pro limite da babaquice humanista que as pessoas conseguem, cada dia mais, ultrapassar.

Tenho orado muito, pra florescer para Deus no lugar onde estou, mesmo que não realizando as minhas vontades ou projetos. Talvez eu seja fraca e falha (talvez???) mas meu realismo pessimista só vê graça na eternidade. Não sei o que ocorre. Não é aquela depressão do ano passado, a da hipo, mas eu sei lá... num quero ser a chata que reclama que tudo é fútil - afinal, eu gosto de varias banalidades inocentes como desenhos, costuras, bordados e música. Só sinto que é complicado se aprochegar das coisas do mundo porque elas fazem a gente caminhar cada dia mais e mais longe da comunhão com o Eterno.

Tanta coisa tem acontecido e despertado minha vida espiritual pra buscar e querer mais o que vem do Alto, que meu status de "estrangeira" vem ficando cada dia mais arraigado em mim. Falta muito ainda pra me parecer com alguém segundo o propósito de Deus, já que muitas vezes eu falho na minha busca e na organização do meu tempo para amá-lo, conhecê-lo e pra que Cristo se manifeste em mim, fazendo com que assim eu cumpra meu papel de sal da terra e luz do mundo. EU sei, só Cristo em mim, pois cada dia me vejo mais precisada de conhecer e conversar com Jesus, pra tentar ao menos reproduzi-lo no pouco. Sei que aí caio na religião, no "eu fazer" e desconsidero o TUDO que já foi feito na Cruz. Viver pela graça é um aprendizado. Passos pequenos, pequeninos no meu caso.

O Senhor é tão bom. Eu provo da sua Misericórdia diariamente. Já era pra eu ter acabado, consumida nas minhas maldades , incapacidades e temores, mas o Pai me enxerga pelos santos olhos da graça, e seu amor se derrama e é tão bom poder sentir isso. Viver pela Graça nos capacita a viver todo dia, e esperar pelo amanhã como se Ele fosse melhor em Cristo, pelo amor de Deus.

Deus tem cuidado tanto de mim, que o intensivo de "larga tudo e me segue" tá rolando continuamente aqui em mim, e Ele tem me ajudado (eu atrapalho bastante) a deixar dois altares na minha vida: a tv (no caso o Netflix, porque sinal aberto nem tem aqui em casa) e a comida (esse, é bem Genesis 4:7 "o teu desejo será contra ti e sobre ele tu deves dominar") e haja graça e espírito cheio do Espírito Santo pra dar os frutos.

Tempo novo, que temo que não será rápido. Se Abraão precisou de 40 anos até conseguir sua promessa, o que será de mim?  Perseverar é a palavra do ano, principalmente quando não se vê frutos. Todavia, é Nele que me alegro. Ele é a minha salvação!

"Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide, o produto da oliveira falhe, os campos não produzam mantimento, ainda que as ovelhas sejam exterminadas, e nos currais não haja gado,
todavia eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação.
o Senhor é a minha força; torna os meus pés como os das corças"
Habacuque 3: 17,18 e 19.

Porque eu eu blogo? E porque não faço sucesso... rs



Criei meu primeiro blog em 2006, assim que comecei a faculdade.
Naquele tempo (eu falando como uma idosa) a gente não tinha Face ou Instagram. No máximo rolava e-mails e um fotolog e o Orkut. Minha ideia era basicamente registrar umas frases, letras de semi-poemas ou músicas que eu fazia, além de postar fotos da primeira câmera digital que eu coloquei a mão. E outra, a ideia principal era ter um espaço meu, onde meus amigos participariam, curtindo uma foto ou comentando sobre os acontecimentos.

Ainda me alegrarei no Senhor... Deus da minha salvação