Nada como um dia após o outro.


Casar deve ser bem legal. Aquele dia inesquecível, todas aquelas preparações, como se fosse o maior acontecimento da história. Convites, lembranças, flores, arranjos, menu, mesas, decoração, cauda, véu, sapato, padrinhos e madrinhas, daminhas (ergh!!!), limunsine (ergh!!! 2) , dia da noiva, blábláblá. 

Heis como eu vejo tudo isso: gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, dinheiro gasto inútilmente, + gastos, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, gasto, e tudo isso pra  desfilar diante de centenas de convidados durante 5 ou 6 horas, fazer uma super viagem e já lá começar a descobrir quem é o ser que escolhemos pra viver "té que a MORTE os separe"... (é... é um LOOOOOngo tempo!)
Depois  ir pra casa, e aprender a conviver com uma pessoa totalmente diferente de vc.

Tenho aprendido a cada dia que o amor é = atitudes. Não é sexo, não é presentes caros, não é beleza, não é pagamento, muito menos viver diante das pessoas algo que vc não possui nem sabe demonstrar dentro de casa, que no mínimo é sua obrigação aprender.Meu pensamento, nessa nova fase que estou vivendo, tem se voltado muito á frase "até que a morte nos separe". Cara, dá pra pensar nisso? Vc e o cara que não desliga o video-game na hora que vc precisa de verdade falar com ele, vc  e a mina que quer resolver e fazer tudo ao mesmo tempo, ou no meu caso, a mina que deixa pra resolver tudo no último dia. Aquele chato, aquela louca, aquele desligado, aquela sentimental demais, aquele chorão, aquela "general", aquele que gosta das coisas caras, aquela que economiza até o último centavo, aquele que só faz o que vc indicou pra ele fazer, depois que ele já bateu a cara e volta arrependido, aquela que fala "eu te disse". Tudo isso vai rolar, dia-a-dia. Tudo isso vai acontecer num tempo muito menor do que vc imagina.  Diante disso tudo, se ao menos as pessoas lembrassem que toda aquela pompa de cerimônia, aquela dezena de padrinhos e uma autoridade espiritual estava lá, serviu para assistir e TESTEMUNHAR  vc dar a sua palavra que "só a morte os separaria". 

Vou me casar... eu e meu noivo colocamos uma meta, um valor máximo a ser gasto no casório, e nenhum a ser cobrado depois de nossa volta da lua-de-mel. Queremos entrar na vida a dois com nenhuma pendência, nenhuma parcela de algo que nem lembramos que utilizamos durante a festa. Por isso, abrí mão de uma festa, de alguns sonhos, de algumas futilidades tb... 
Tenho certeza que vou passar por isso e não me arrepender de não ter tido. Vou lidar com coisas reais, difíceis, como feijão-com arroz...  e descobrir que não vale ganhar o munbdo e perder a minha alma. 

p.s me desculpem noivas ...
ateh 

Um comentário:

  1. Oi Pri,
    Achei esse seu post tão legal, tão verdadeiro, resolvi escrever, vc sabe, escrevo muito mais do que falo... rs Eu nunca pensei em casamento, nunca pensei em festa, nunca pensei em casar na igreja de branco e tudo mais, sempre fui avessa a algumas tradições, tenho as minhas pendências comigo mesmo,coisas que não abro mais, como casar no civil, tudo direitinho... mas sempre fui muito tímida, morro de vergonha de pensar como seria se eu tivesse que casar com pompas e circunstâncias... rs é sempre díficil sermos nós mesmos... mas tento ser livre, livre... Algumas pessoas sempre me acham estranha por eu ter alguns pensamentos, rs qdo se namora muito tempo, muita gente cobra casamento, filhos, essas coisas, muitas vezes isso me irrita, mas é a vida... rs sua sobrinha é linda! Parabéns! e Obrigada pelos comentários!!!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu carinho e recado.