Freekscape - Game do maridão.

Saiu uma nota oficial do game que Di fez. Envolvido até a cabeça na área de 3D e criação de alguns personagens para o game Freekscape - Scape from Hell, que será lançado para PSP.


"Direto do SBGames: "Freekscape" é jogo nacional para PSP


THÉO AZEVEDO
Enviado especial ao Rio de Janeiro

Um diabinho que, num belo dia, se revolta e decide deixar o inferno e ir para o céu. Eis o mote por trás de "Freekscape: Escape from Hell", primeira propriedade intelectual original desenvolvida por uma empresa brasileira para o PSP. O projeto está nas mãos da Kidguru, ex-Insólita/Abdução, que fica na cidade de São Paulo.
Durante o SBGames 2009, evento sobre desenvolvimento de jogos que acontece no Rio de Janeiro, Winston Petty e Daniel Garcia, da Kidguru, mostraram ao UOL Jogos um pouco de "Freekscape", que será publicado pela europeia Creat no serviço PSP Mini, que serve de canal para publicar jogos de mecânica simples para o portátil da Sony. O lançamento está programado para novembro.
Freek, na verdade, é um diabinho bem simpático, munido de um tridente sagrado. A trama se transforma em um típico jogo de plataforma baseado em "puzzles" (enigmas), e cabe ao protagonista usar as habilidades de outras criaturas infernais para se dar bem. Correr, pular, atacar e resolver quebra-cabeças; tudo está atrelado às criaturinhas, em um game cuja mecânica é bidimensional, mas com visual 3D.
Um certo demônio, por exemplo, impulsiona Freek para que ele possa alcançar plataformas mais altas, mas antes de aproveitar as habilidades de cada criatura, é importante observar o estado emocional das mesmas, que pode influenciar a mecânica do game. De qualquer forma, não há combates: o game é bem focado na resolução de enigmas.
Planos ambiciosos "Queremos criar uma propriedade intelectual forte para explorá-la depois". As palavras são de Petty, que acrescenta: "Por isso somos 100% donos de 'Freekscape' e bancamos os cerca de US$ 180 mil que envolveram a produção, mesmo trabalhando em 'modo econômico', para reduzir custos e viabilizá-la". Embora a Sony já participe do SBGames desde 2007, alardeando a possibilidade de apoiar produtoras e faculdades brasileiras, a Kidguru não foi por este caminho. "Obtivemos nosso licenciamento pela Sony da Europa, pois pelo caminho 'incubado' levaria alguns meses, e o publisher nos pressionou para agilizar logo o game", explica Petty. O desenvolvimento do jogo, que pode virar série episódica dependendo das vendas, envolveu cerca de 15 pessoas. "Freekscape", na Europa, custará 5 euros e o lançamento acontecerá nos Estados Unidos também, mas ainda não há preço definido para o território."


Um comentário:

  1. Valeu linda, pela força e apoio....isso que é esposa...rs...beijos

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu carinho e recado.