Quem sou eu?

Se usa um dos cinco sentidos, tá valendo. 
Se é novo, ou velho, se tem uma detalhe ou é muito chamativo. Se fala por si mesmo ou se precisa de uma tradução. Se é pouco ou se é tudo, generoso ou mesmo impuro. Simplesmente complicado ou geralmente renegado, quero algo, quero assim, quero tudo ou um pouco menos. 

Como tudo quero, nada quero: sou assim.
Complicando, explicando, cantando notas ou escritos.
Me exponho, me escondendo em palavras. Me descrevo como alguém assim: 

- Fotos, sons, cantos e pontes. Novidade e rugas num mesmo objeto ou personagem. 
- Crafts, Fotografia, Faça-você-mesmo, Museus, Livros, Quinquilharias, Velharias e objetos arcaicos.
- Preto e Branco, Reforma, Tintas, Cores, Decoração, Pincéis, Feltro, Costura.
- Arquitetura, Escultura, Artesanato,Filmes Europeus,  Anos 60 e 70.
-  Dias de sol, Dias de chuva, Frio e Chocolate quente, Cookies, Sushí.
-  Deus, Família, Amigos ... solidão.

Não tem ordem certa pra seguir.
E além disso tem muitas outras coisas, gostos, atitudes e palavras infindas.

Pra quem quer uma definição:  Priscila.
Boca frouxa que não perde uma oportunidade de falar uma barbaridade e trazer uma risada na vida da galera. Não é que seja sem filtros, é que simplesmente não consigo perder a piada. Minha mente trabalha mais rápido que meu censo comum.  Do jeito que tá.. o melhor é sorrir e não chorar!

Tá, que eu tenho meus momentos "OL-BAIMAI-SELLL-DOUONABIIIII" e taí o blog e o twitter, preu dividir os pobrema e poblema dessa vida Dimeldeusi! Esse espaço muito usado, virtualmente me expresso. Posso sim, me arrepender, de palavras impensadas mas escritas em momentos de total entrega do meu coração. Simplesmente não consigo não lidar com o que me aflige. Sim, posso escolher não me abalar, ignorar, muitas vezes isso eu faço, mas quando dói,  quando usa, quando mente ou abusa algo em mim tem que falar.
 Quando a minha boca fecha mas minha mente não consegue se calar, então meus dedos, tão poderosos e cheios de força, exprimem a dor do meu coração, a emoção, seja o que for. 

Portanto já deixo aqui escrito um pedido de perdão. 
Talvez tenha desejado ofender ou talvez tenha apenas tentando esclarecer, abrir olhos e pensamentos para outros também ver, o que aflige essa tola alma. Posso fazer por mal ou por bem, mas preciso fazer. Me nego a estatuar-me. 

Você que está aqui: pode ser que já conheça ou que esteja apenas visitando, acredite: não sou tão diferente aqui quando em carne, gordura, ossos e sangue. Lhe dou a oportunidade de conhecer esta escritora, tão falível mas, que mesmo assim deseja lhe falar. 

Responda ou comente se assim achar necessário. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu carinho e recado.