Tess Holliday na Peopleeee - Ame-se gordinhaaaaa!



E hoje saiu a Tess Holliday na capa na People.... 
A Tess Holliday é uma mulher gorda que não considera "gorda" uma ofensa. Pra ela é só mais uma palavra e a vida dela é bem mais interessante do que dar atenção a um rótulo. As gordinhas estão com tudo. Estamos aprendendo a nos amar e o resto vem, como consequência dos nossos talentos - que podem ou não estar envoltos em algumas curvas a mais ou a menos. Talento é talento e não importa se ele é petit ou plus size.


Há cerca de 5 anos, ela começou a usar a internet para postar fotos suas usando roupas de banho e outros modelitos que antes não era "permitido" a mulheres grandes grandes. Acontece que Tess ganhou inúmeros fãs, gente que se identificou nesse padrão, modelo, exemplo (não queria definir muito isso aqui) e hoje tem milhares de seguidores tanto na sua conta do Instagram quanto na página do Face. Além disso, é a primeira modelo Super Plus Size... se é que existe essa nomenclatura. Mas enfim... a Tess não é, como muitos pensam, a valorização da obesidade.

O pensamento dela vai além disso: ela representa o amor próprio. 
Aceitação! Uma palavra que é muito falada nos dias de hoje, extremamente buscada, mas em referências muitas vezes inatingíveis.
Seu manifesto se baseia na premissa de que A BELEZA VEM EM TODOS AS FORMAS. 
Acredito que é bem difícil explicar isso, porque as pessoas olham as fotos dela e de qualquer outra mulher gorda e já vem descendo a lenha sobre os dramas das doenças que a obesidade acarreta e afins, mas não conseguem ver além disso. Vamos pensar, minha gente: somos corpo, sim. Esse é o nosso transporte nesse mundo, mas só corpo não faz de nós muita coisa. Temos um cérebro... temos gostos, talentos, habilidades, compreensões, pensamentos e opiniões sobre cada uma das coisas que nos cerca. E sim, é isso o que nos torna quem somos: um corpo sem o resto é um ser em coma, e um ser em coma faz o que? Vegeta.... Todo o nosso dia a dia gira em torno de levantar, se arrumar, ir ao trabalho e ou estudar, encontrar pessoas, fazer contatos, compartilhar idéias, consumir produtos e serviços e incontáveis outras tarefas, que, se confinados a um rótulo de "ele é feio" ou "ela é baixinha" ou "nossa, que gordo" deixam de existir? Não! Isso é muito restritivo e enganoso!





Eu fico muito feliz em ver mulheres como ela e a Ju Romano na mídia, esfregando a segurança e a auto estima delas na cara da sociedade, apesar de odiar ler os comentários gordofóbicos de quem não entende nada do que se passa - além do "básico" - na mente de uma garota ou mulher acima do peso. Elas tiveram a cara e a coragem de se levantar, se revelar e usar os meios corretos pra dizer: "hei, gordinhas... vcs valem mais do que números em uma balança". Esse chacoalho, convenhamos, começa pra gente, que passa sufoco na hora de encontrar aquela saia 46 ou calça 44 que tenha um bom caimento, que sonha com aquele maldito vestido "tamanho único" e que sai revoltada do provador toda vez. 

A verdade é que tem roupa por aí pra gente sim! Tem roupa estilosa, super fashion, com caimento perfeito e a gente precisa aplaudir essas mulheres que tão virando os holofotes pra nossa larga causa. Somos o que somos, e precisamos exigir produtos e serviços que arquem com as nossa gordurinhas e curvas. A gente não pode se "diminuir", eles que se ampliem pra nos alcançar. Seja nos tamanhos corretos das roupas, seja na variedade de looks.  



Ame-se hoje! Isso é algo que mesmo que você não queira, precisa se obrigar a querer todos os dias. Brigando ou não com a balança, vivendo de dieta, detonando aquela panela de brigadeiro ou voltando da academia, enfim... a gente só não pode deixar pra se gostar lá muito na frente, no final de tudo, depois que perder os 5,  15, 30 quilos, pois vamos acabar perdendo muito tempo da nossa vida desvalorizando quem somos ao comparar com os outros. Agradeça a sua genética! Se valorize! Seja com seios fartos ou pequenos, quadris largos ou bundinha seca, pernocas grossas, falta de cintura, nariz pequeno ou de batata, lábios muito carnudos ou desenhados com lápis de boca ... Gente, somos únicas (os). Você é o prato do dia: sirva-se e convide as pessoas ao redor para compartilhar todos os benefícios de te ter. Eu realmente odiaria ver uma cópia minha andando pela rua! Precisamos valorizar essa individualidade e apreciar isso. Precisamos ser positivos com a gente mesmo!!!!

"A realidade é: eu sou gorda. Gorda é uma palavra, é um adjetivo. E eu não me importo" 
Tess Holliday


E um aviso aos haters de plantão: nós, gordas, não estamos levantando nenhuma bandeira à obesidade, e sim a valorização de quem realmente somos. Do tipo, simples e descomplicado: a gente se ama! Tanto problema e complicação na vida,  você não pode ser o idiota que critica o modo dos outros viverem. Quanto ao nosso histórico médico ... o problema não é seu, certo?

Bora ser feliz... porque sabe como é... GENTE FELIZ NÃO ENCHE O SACO!
Ebaaaaaaa! Sou bem feliz!  Abçs!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu carinho e recado.